Protetor labial: qual escolher?

protetor Protetor labial: qual escolher?OLAR! O frio chegou com tudo, não é mesmo? Eu tô adorando (desculpa, haters) e por mim poderia continuar o ano todo. Mas com o frio também chega o ressecamento dos lábios e da pele, o que exige um cuidado maior nessa época do ano. Hoje a ideia é ajudar você aí a escolher um protetor labial bacana de acordo com a sua necessidade. Antes de começar, eu só queria fazer um disclaimer muito importante: protetor labial é uma medida preventiva; ele não é remédio, não faz milagre – e se você já está com os lábios rachados não vai adiantar em nada, pode até piorar a sua situação. Com isso dito, vamos lá – eu separei os cinco que eu mais tenho usado e que são relativamente fáceis de encontrar por aí.

1. Baby Lips, da Maybelline

Ele chama a atenção logo de cara por ter a embalagem bonitinha e é extremamente fácil de encontrar. Eu comprei o de cereja e já até resenhei ele aqui no blog. Talvez a versão intense care até traga mais benefícios, mas como não testei, não vou cagar regra e generalizar. Eu gosto de usá-lo durante o dia, apenas pra dar uma corzinha básica nos lábios. Fica super natural e querendo ou não protege de leve os lábios do frio e do vento. Vale a pena investir nele como proteção durante o inverno? Não. Na maioria dos lugares você o encontra por R$ 11,90.

2. Lip Butter Raspberry Rosé, da Nivea

Minha descoberta mais recente e já virou minha queridinha. Hidrata super bem e realmente cumpre o seu propósito. Porém nem tudo é maravilhoso: a aplicação tem que ser com o dedo ou um pincel – o que pode ser um pouquinho anti-higiênico. Fora que por ele ser bem clarinho, se você aplicar um pouquinho demais os lábios ficam com uma cor meio estranha, mas isso é frescura minha (se quiserem posso fazer uma resenha mais detalhada dele depois). Mas pra quem precisa dar uma boa hidratada nos lábios e precisa de um produto fácil de achar, esse é campeão. Vale a pena investir nele como proteção durante o inverno? Sim. Paguei R$ 12,89 no meu na farmácia.

3. Honey Lip Balm with Vitamin E, da Burt’s Bees

Eu particularmente gosto muito dessa marca – é quase tudo feito com produtos e recursos naturais, ótimo pra galera sensível e do time das alergias. Cheirinho agradável, gosto agradável e não deixa aquela sensação grudenta nos lábios, sabe? Os outros ~cheiros/sabores~ da linha são muito bons também e o meu preferido é o de romã (que só não fotografei porque não achei, hehe). Ele trás uma hidratação na medida e eu carrego comigo o ano todo na bolsa, sem sacanagem. Vale a pena investir nele como proteção durante o inverno? Sim. Agora que a marca finalmente chegou ao Brasil você já pode encontrar os produtos nos stands em alguns shoppings e na Sephora. Ele custa R$ 16,00.

4. Everyday Protecting Lip Balm Stick, da Carmex

Esse é o dono do meu coração, disparado (juntamente com o Chapstick que infelizmente ficou fora desse post porque o meu acabou). Na gringa ele é super baratinho (coisa de 1 ou 2 doláres) e eficaz que só vendo. No inverno é o que eu mais uso porque a proteção dele é boa demais – e ele ajuda a reparar bocas secas também, o que é uma beleza (mas gostaria de relembrar que você NÃO DEVE usar o produto se sua boca estiver RACHADA). O cheiro dele é ok, uma vibe meio gelol com cereja, nada muito desagradável e a textura dele já é mais pegajosa, mesmo ele assim em formato de batom (o que parece um gloss eu não compro mais, faz MUITA meleca). Vale a pena investir nele como proteção durante o inverno? Sim. Aqui no Brasil não vende mas é super fácil de encontrar no eBay ou nessas lojinhas online de cosméticos – para importar sai algo entre R$ 10-15, com frete incluso, nada muito fora do padrão.

5. Lip Balm Sweet Mint, da EOS

Esse lip balm virou mania entre as famosas e entre nós, meras mortais, pela sua embalagem bonitinha e pela incrível variedade de cores e cheiros (acabei comprando um basicão de menta mesmo, só porque a cor era linda). Não passei ilesa a essa mania, desculpa sociedade. Vou ser honesta com vocês, ele não é o melhor que tem por aí não. Ele tem uma hidratação bem mediana – perto do Carmex, por exemplo, ele fica no chinelo – mas ele deixa os lábios bem macios e ele dura absurdamente mais que os outros na boca. Gosto bastante de usá-lo por baixo de algum batom, fica uma sensação mega refrescante. Vale a pena investir nele como proteção durante o inverno? Sim. Na gringa ele custa entre 3-4 dólares (o dobro do preço dos protetores normais) e aqui no Brasil você só encontra em algumas lojinhas online ou pelo eBay – os preços variam bastante e você pode encontrá-lo na faixa de R$ 17-40.

Como eu detesto manteiga de cacau (blergh!) eu tô sempre testando protetores labiais novos. Qual é o seu favorito? Você gostaria de me recomendar algum? Quero saber tudo, ein, não esquece de me contar ali embaixo! Bisous et à bientôt.

Sorteio: A Escola do Bem e do Mal

escolabemmal sorteio1 Sorteio: A Escola do Bem e do MalOLAR! Hoje tenho uma notícia muito legal para vocês. Eu recebi um exemplar do livro “A Escola do Bem e do Mal” – do escritor Soman Chainani – da Editora Gutenberg essa semana e como eu já li (você pode conferir a resenha aqui) e ainda tenho a minha cópia resolvi sortear ele pra vocês! Olha só que lindinho:

escolabemmal sorteio4 Sorteio: A Escola do Bem e do Malescolabemmal sorteio2 Sorteio: A Escola do Bem e do Mal escolabemmal sorteio3 Sorteio: A Escola do Bem e do Malescolabemmal sorteio5 Sorteio: A Escola do Bem e do MalPara participar é super fácil: basta curtir a página do blog e da editora no facebook e preencher seus dados no formulário abaixo (você pode acessar o formulário também lá na página do blog clicando na aba ‘Giveaway’). O sorteio está aberto até o dia 28 de agosto e o resultado vai ao ar no dia 29! Observação: para participar você precisa obrigatoriamente residir no Brasil ou ter um endereço para entrega em território nacional, ok?

a Rafflecopter giveaway

Boa sorte, pessoal! Qualquer dúvida é só comentar aqui, ok? Bisous et à bientôt.

Tag: Enquete de blogueiros

Photo 26 07 2014 02 20 43 e1406354246955 Tag: Enquete de blogueirosOi, gente! O post hoje é uma tag super bacana (não resisto a essas brincadeiras, rs) que foi desenvolvida pela Isabela do blog Delineado Gatinho. São dez categorias e em cada uma delas eu selecionei três blogs (e seus respectivos donos) como resposta. Conheci a tag através do blog da Lominha que me indicou na categoria “deveria ser mais conhecida” e achei a proposta super bacana, já favoritei vários blogs diferentes para acompanhar! Espero que vocês gostem e vamos lá que esse post vai ser grandinho.

1. Cabelo mais bonito

Quem eu escolhi: Renata, Camila Coelho e Camila Rech.
Três cabelos maravilhosos e eu nem sei qual que eu amo mais, cada um tem a sua peculiaridade. O da Re é um vermelho super bonito, vibrante e já foi ainda é meu sonho de consumo adolescente. Mas se eu tivesse que eleger um ganhador, seria o da Camila Coelho: é lindo e tem um ar super natural e descontraído.enqueteblog 1 Tag: Enquete de blogueiros

2. Posts mais completos

Quem eu escolhi: Paloma, Gabi e Babi.
A Gabi e a Babi escrevem super bem e montam vários posts bacanas e bem detalhados, mas a vencedora dessa batalha é a Lominha, a criadora do maravilhoso ORGblog (que se você ainda não conhece, tá perdendo!).enqueteblog 2 Tag: Enquete de blogueiros

3. Posts mais engraçados

Quem eu escolhi: Ygor, Vic e Júlia.
Que a Vic é engraçadérrima (#neologismo) todo mundo sabe, ou pelo menos deveria. Já a Júlia eu conheci recentemente no grupo do Rotaroots e morro de rir com as postagens da fofa no meu feed. Mas desculpa meninas, o ganhador dessa categoria é de longe o Ygor. Não tem como não passar mal de tanto rir com o blog dele. Não tem.enqueteblog 3 Tag: Enquete de blogueiros

4. Tem mais personalidade

Quem eu escolhi: Duds, Babee e Nina.
Cada uma tem um jeitinho maravis e único que eu adoro acompanhar. Mas dessa vez eu escolho a Nina; adoro os textos, as opiniões…tá de parabéns.enqueteblog 4 Tag: Enquete de blogueiros

5. Tem mais estilo

Quem eu escolhi: Ashley, Mathilde e Louise.
Descobri o blog da Ashley Madekwe ao acaso, procurando uma peça de roupa que ela havia usado no seriado Revenge – foi amor logo ao primeiro acesso. Já o blog da Mathilde foi um dos meus achados no bloglovin’ e eu sou completamente apaixonada pelos looks da moça. Mas a vencedora dessa batalha é a Louise – a conheci através do youtube e adoro como ela tá sempre por dentro das tendências mesmo tendo um corpo ‘fora do padrão’, virou uma das minhas referências – principalmente pelas nossas figuras serem um pouco parecidas.enqueteblog 5 Tag: Enquete de blogueiros

6. Maquiagens mais bonitas

Quem eu escolhi: Tanya, Alice e Bruna.
Eu nunca fui de seguir e acompanhar blogueiras de beleza, até eu conhecer a Alice. Meu primeiro smokey eye bem executado foi graças a ela. Mas a ganhadora dessa categoria é de longe a Tanya Burr – que eu descobri pelo YouTube. Ela faz vários looks lindos, nada exagerado e pavão…sabe? Já peguei várias dicas de produtos ótimos e baratinhos com ela e acho sensacional, to sempre acompanhando mesmo. Inclusive a fofa lançou uma linha de maquiagem lá na terra da rainha e eu estou louca pra testar – se alguém souber um site que venda e entrega aqui no Brasil, me conta, por favor!enqueteblog 6 Tag: Enquete de blogueiros

7. Melhores vídeos

Quem eu escolhi: Zoey, Tanya e Louise.
As três tem uma presença muito mais forte no YouTube do que nos respectivos blogs, chega até ser meio injusto escolhe-las. Entre elas eu fico com a Zoey (mais conhecida como Zoella). Ela vloga sobre tudo: maquiagem, lifestyle, viagens, tags legais…adoro. E tudo tem aquele jeitinho característico dela, acho uma graça.enqueteblog 7 Tag: Enquete de blogueiros

8. Realista e pé no chão

Quem eu escolhi: Fred Elboni, Emi e Fred Mattos.
Eu acompanho os textos do Fred Mattos e da Emi há tempinho um considerável já. Mas quem leva essa é o Fred Elboni – descobri o blog dele por causa da obsessão de uma amiga (beijo, cams!) que me fez ir assistir a palestra dele no youPIX. Cheguei em casa, comecei a ler um texto, dois…quando dei por mim estava lendo todos os textos dele no blog. TODOS. E todos me fizeram refletir, sem exceção – sabe aquela pessoa que te joga umas verdades sem ficar cagando regra? Pois é.enqueteblog 8 Tag: Enquete de blogueiros

9. Melhores fotografias

Quem eu escolhi: Mel, Dana e Tamara.
Nem preciso dizer que as três são super talentosas, seria um eufemismo. Honestamente não consigo escolher entre a Mel e a Dana, ambas tem estilos bem característicos. Mas dou um ponto extra pra Dana, já que ela compartilha várias dicas bacanas no blog dela pra quem está começando a se aventurar na fotografia (tipo euzinha).enqueteblog 9 Tag: Enquete de blogueiros

10. Deveria ser mais conhecida

Quem eu escolhi: Mih, Esther e Juliana.
A minha volta ao mundo dos blogs se deve ao convite da Mih para colaborar no MOBIC – que é um blog que eu aprendi a amar e recomendo todo mundo colocar no blogroll. A Ju Rabelo eu conheci através do rotaroots e sou apaixonadíssima nas artes da moça, vale a pena conferir (não vejo a hora de comprar uma pro meu quarto!). Mas essa categoria quem leva é a Tety. Sei que sou suspeita pra falar, somos amigas desde o tempo das aulas de francês em Brasília, mas o blog de culinária dela é sensacional. Uma receita melhor do que a outra – minha preferida é a de mac n cheese de queijo do reino.enqueteblog 10 Tag: Enquete de blogueirosEu não pretendia repetir pessoas nessa enquete mas aconteceu, desculpa ae galera. Tentei fazer um mix de blogs nacionais e gringos que eu acompanho pra ficar bem equilibrado. O que vocês acharam? Concordam ou discordam de algo? Me contem, ein! Aproveitando esse clima de indicações: qual blog você recomendaria pra mim/acha a minha cara? Bisous et à bientôt.

Throwback Thursday #4 e #5

tbt copy1 Throwback Thursday #4 e #5Dobradinha, galera. Isso mesmo, hoje eu separei 20 (fintchy) posts super bacanas pra vocês lerem nas horas vagas. Semana passada eu sei lá o que rolou que eu esqueci de publicar meus favoritos por aqui e pronto, eu vim me redimir. Para facilitar a vida de vocês, até resolvi separar os posts por categorias (depois me contem o que acharam dessa ideia!).

Nerdices:

5 atores que seriam perfeitos para interpretarem o Dr. Estranho no cinema (MOBIC)
Qual é Ordem do Universo Marvel no Cinema? (Nerdiva)

Apesar de preferir os personagens da DC (desculpa, mundo) eu gosto muito da Marvel, ok? O post da Tay tá super completo para quem não manja muito desse universo e quer saber por onde começar, fica a minha dica do coração.

Música:

Minha experiência com o Spotify (Pode Chamar de Duds)
Playlist para quem tem medo de avião (Juh Claro)
Para ouvir: Banks (Teoria Criativa)

Como eu sou fanzoca-mor do Spotify (e acho que todo mundo deveria abrir uma conta e ser feliz) achei sensacional o post que a Duds criou sobre a experiência dela com o serviço. Bem explicadinho, bem bonitinho e bem legal. Corre lá!

Literatura:

Resenha: Deixe a Neve Cair (Babi Lorentz)
Personagens da literatura que foram inspirados em pessoa reais [Parte 2] (Dito pelo Maldito)

Essa semana chegou o meu exemplar de Let It Snow (Deixe a Neve Cair), que é uma coletânea de três contos natalinos (e alô, um deles é do John Green!), e eu to pilhada pra ler. Coincidentemente a Babi postou a resenha no blog dela essa semana e eu fiquei mais animada ainda. Aqui no blog rolou resenha de dois livros da Jennifer E. Smith, “The Geography of You and Me” e “The Statistical Probability of Love at First Sight”, em forma de playlist – que você pode conferir clicando aqui e aqui.

Comidinhas:

Butantan Food Park, São Paulo (Era 1x)
Biscuits With Country Sausage Gravy (Chef In Training)
Vegan Mini Pink Lemonade Layer Cakes (Random Acts of Pastel)

Meu lado gordinha falou mais alto dessa vez. Estou fascinada com esse Butantan Food Park aqui em SP, tinha visto vários amigos meus comentando e tal e depois desse post eu sinto que PRE-CI-SO ir lá urgente. E para quem curte se aventurar na cozinha como eu, duas receitinhas bacanas – estou até com o pé atrás no bolinho de Pink Lemonade (não sou muito fã de doces que não contenham chocolate) mas tá tão bonito que eu quero pelo menos provar, sabe como é?

Decoração:

Interior | A Peek Inside My Living Room (Zoella)
Tour pelo meu quadro de inspiração (A Series of Serendipity)
New in: Passarinho + Penas (Juliana Rabelo)
Contemporary Fireplace Ideas (Centsational Girl)

Eu sempre gostei de decoração – saudades dos mil programas que passavam no People + Arts (quem aí também assistia?) – e já até pensei em trabalhar com isso uma época, como não rolou gosto de acompanhar blogs que falam sobre o assunto e tal. A Zoey (Zoella) se mudou da casa dos pais e começou a mostrar a decoração da casa nova dela no blog e eu estou APAIXONADA, é tudo super clean e fofo, vale a pena dar uma olhada para se inspirar. Assim como vale a pena dar uma olhada nas artes da Ju Rabelo, to apaixonada nesse quadro novo do passarinho!

Moda:

Tendência: Blazer candy color (Sempre Vaidosa)
Look: Moletom dog, short e tênis (Meninices da Vida)

Aleatórios:

5 coisas para fazer no inverno (Babee)
Freebie: Ultimate Party Planner (Polypop)
+25 ideias de post para o seu blog (Sernaiotto)
Como beijar na boca (Improbabilidade Infinita)

Sim, toda semana ou quase eu indico um texto do Ygor por aqui, vai se acostumando. Sério, eu nunca vi um blog tão engraçado quanto o dele – e não é forçado, te juro. Quando eu achei que ele não poderia mitar mais, ele escreveu um ~tutorial irado~ sobre como beijar na boca. CORRE GENTE, CORRE PRA LER ISSO AÍ E VEM RIR COMIGO DEPOIS.

Ufa, já é quase sexta-feira e eu achei que não fosse acabar esse post. Me contem o que acharam dos links que eu separei, hein! Quero saber de tudo. E não esquece de deixar algum link bacana (do seu blog ou de algumx amiguinhx) pra eu ler também! Bisous et à bientôt.

Resenha: The Statistical Probability of Love at First Sight, Jennifer E. Smith

statisticalresenha Resenha: The Statistical Probability of Love at First Sight, Jennifer E. SmithTá chovendo resenha de livros aqui no blog, né? Mas é que eu quero aproveitar enquanto a história tá fresquinha na minha cabeça pra comentar com vocês. Como eu contei pra vocês no outro post, eu comprei esse livro (The Statistical Probability of Love at First Sight) e o “The Geography of You and Me” (leia a resenha aqui) lá no book depository. Eu gostei do estilo da escrita da autora e da leveza das histórias que eu embalei um livro atrás do outro mesmo – e inclusive já comprei mais um que se chama “This is What Happy Looks Like”.

Título: The Statistical Probability of Love at First Sight
Autor: Jennifer E. Smith
Editora: Poppy/Little Brown
Ano: 2013
Páginas: 236

Sinopse: Com uma certa atmosfera de “Um dia”, mas voltado para o público jovem adulto, A probabilidade estatística do amor à primeira vista é uma história romântica, capaz de conquistar fãs de todas as idades. Quem imaginaria que quatro minutos poderiam mudar a vida de alguém? Mas é exatamente o que acontece com Hadley. Presa no aeroporto em Nova York, esperando outro voo depois de perder o seu, ela conhece Oliver. Um britânico fofo, que se senta a seu lado na viagem para Londres. Enquanto conversam sobre tudo, eles provam que o tempo é, sim, muito, muito relativo. Passada em apenas 24 horas, a história de Oliver e Hadley mostra que o amor, diferentemente das bagagens, jamais se extravia.

Nível de amor:

Sabe aquele livro que você começa a ler e não quer parar nem pra ir comer? Foi esse. Comecei a ler de madrugada, só parei porque tava morta de sono, e terminei na manhã seguinte. Fácil, rápido e com uma história bonita e delicada. Aquele tipo de história que te faz abrir um sorriso bonito, largado. Recomendo pra quem busca um leitura leve e gostosinha. Hadley conhece Owen de uma maneira completamente inusitada e tudo vai se passando bem certinho até eles se perderem no desembarque, em Londres. Eu não parava de torcer pela Hadley, sério. E pelo fato da história se passar em um curto período de tempo, eu ficava meio desesperada imaginando como iria acabar! Não vou largar nenhum spoiler aqui, relaxem. Mas é melhor eu parar de falar. Não, pera. Eu preciso dizer que adoraria ter um Owen na minha vida! #comofas

statistical3 Resenha: The Statistical Probability of Love at First Sight, Jennifer E. Smithstatistical2 Resenha: The Statistical Probability of Love at First Sight, Jennifer E. SmithDessa vez eu trago boas notícias pro pessoal que prefere ler a tradução: a Galera Record já lançou uma versão em Português desse livro e vocês podem encontrar na maioria das livrarias e pela interwebs, maoe (desabafo: prefiro a capa original). Como recebi um feedback bastante positivo da minha ~resenha musical~ de “The Geography of You and Me” vocês vão ter que me engolir de novo porque eu preparei outra playlist! Chega mais e aperta o play!

statisticalplay Resenha: The Statistical Probability of Love at First Sight, Jennifer E. Smith

“He’s like a song she can’t get out of her head. Hard as she tries, the melody of their meeting runs through her mind on an endless loop, each time as surprisingly sweet as the last, like a lullaby, like a hymn, and she doesn’t think she could ever get tired of hearing it.” – Jennifer E. Smith

Quem aí já leu esse livro levanta a mão? O que vocês acharam? Quem ainda não leu, ficou interessado? Gostaram da playlist? Me contem absolutamente tudo, hein! Até me empenhei dessa vez pra fazer uma playlist bonitinha, com as músicas fluindo e tal. Bisous et à bientôt.

Tutorial: Como migrar para o WordPress

Photo 22 07 2014 21 00 20 e1406074805563 Tutorial: Como migrar para o WordpressOi, gente. Não faz muito tempo que eu migrei do Blogger para o WordPress. Por mais que eu já conhecesse a plataforma e tivesse me planejado para esse momento, é claro que alguma coisa ia dar errado na minha mão – e deu. Mas nada que não desse para resolver. Agora fico imaginando: e quem nunca mexeu no WP na vida? Eis que me surgiu a brilhante ideia de montar um tutorial basicão pra galera mais n00b que tá começando. Cola comigo que é sucesso.

  O que eu vou precisar?

Tempo, paciência e um dinheirinho. Vou explicar melhor, calma. Tempo: você vai ter que montar um novo layout (mesmo que você pague alguém pra isso, demora), transferir os posts antigos, organizar as páginas, e várias outras coisas – não dá pra fazer da noite pro dia. Paciência: se você não é um gênio do html, css e afins esse processo pode demorar ainda mais – não to tentando desencorajar ninguém, viu – e sempre pode ocorrer algum errinho (não esqueça de fazer um backup antes de começar!); é normal (nada que uma breve pesquisada no google não te ajude) e não fique pensando em desistir logo no primeiro desafio que você encontrar. Dinheiro: você vai ter que contratar um servidor para hospedar o site e caso ainda não tenha, terá que comprar um domínio (fora os extras pra quem for contratar um design/programador).

  Como escolher um servidor?

Olha, novamente eu queria frisar que não sou uma expert no assunto. Eu conversei com muitas amigas que tem seus respectivos blogs hospedados nos mais diversos servidores. Olhei vários, vários mesmo. Particularmente eu não escolhi o meu servidor pelo preço e sim pela confiança e qualidade: todo mundo falou super bem, não vi ninguém que passou por perrengues e também pelos serviços oferecidos. Desde que mudei meu site não passou um dia sequer fora do ar e eu nunca tive nenhum tipo de problema com o servidor; fora que o suporte foi uma mãe comigo na semana que eu migrei tudo pra cá. Para que tiver interesse, eu uso o Hostgator – pago mensalmente o plano M (que eu achei que se adequa melhor para o meu blog e tal) mas existem vários tipos de planos.

❤  Onde compro um domínio?

Você pode comprar em vários sites, vários mesmo – e novamente eu acho que pesquisar nunca é demais: converse com blogueiros, amigos, conhecidos e veja onde eles compraram seus domínios. O AML possui dois domínios; o avecmeslouboutin.com eu comprei no Superdomínios e apesar de funcionar certinho, eu não recomendo. Passei o maior perrengue pra configurar da primeira vez e o suporte é oh: uma bosta. O segundo domínio (que pouca gente conhece, rs) é o patriciasilvaneto.com e eu comprei pelo Hostgator mesmo. A diferença de preço é pouca entre eles, não tive trabalho nenhum e o suporte deles é uma mãe.

❤   Já escolhi o servidor, o domínio: e agora?

Agora vem a parte divertida. Você vai ter que acessar o seu cPanel (que é tipo um QG do teu blog: lá você vai poder administrar várias coisas) e instalar o WordPress, que vai ser a plataforma de postagem do teu blog. Grande parte desses paranauês aí vem com o Fantastico De Luxe que é um instalador bacanudo que ajuda horrores na tua vida e instala o WordPress por você – isso mesmo, em poucos passos tá tudo pronto e você nem vai ter que se aventurar instalando manualmente pelo FTP. YAY! Com isso feito, você já pode começar a montar o seu layout xuxu beleza e dar vida ao seu frankenstein blog!

❤  Design, programações e outros paranauês: comofas?

Uma das grandes vantagens do WP é ser extremamente personalizável então a minha dica é: se joga. Se você pretende fazer o trabalho sozinha, procure um tema base bacana (0800 se você manja um pouco e tá disposta a se virar). Ou compre um tema pronto em algum layout shop como, por exemplo, o Difluir. É claro que existem vários outros lugares bacanas: lojinhas de design no Etsy, sites gringos…tudo depende do teu orçamento – tem pra todos os bolsos e gostos. Eu manjo um pouquinho (o suficiente pra deixar o blog menos feio, rs) de Photoshop então contratei uma designer apenas para fazer uma ilustra bonitinha pro topo do blog (beijo, Duds!). Não tem mistério: dê uma olhada no portfólio da galerous, peça um orçamento, converse e escolha o que você se identificar mais.

❤  Plugins, comentários e afins

O WordPress é bem mais vulnerável a malwares (isso mesmo, vírus no teu blog) e um dos grandes problemas são os plugins (aqui vão algumas dicas pra você se proteger das ameaças!). Veja bem, não to dizendo aqui pra você não instalar nada no teu blog, apenas moderação, só o necessário MESMO. Instalou um plugin e não gostou? Deleta, não deixa ele lá de bobeira não. E já que estamos falando de plugins, vou te dar algumas dicas maravilhousars. Blogger Importer: para quem vem do blogspot ele pode ser uma mão na obra (ou um pesadelo se assim como eu você tem muitos posts publicados). O que ele faz? Ele transfere automaticamente todos os seus posts antigos pro servidor novo. YAY! Lindo né? Pera lá, o que ninguém te conta é que ele deixa a formatação meio zoada e você vai ter que arrumar tudo manualmente. Fora aquele lance de SEO, tags e categorias – novamente é aquilo que eu falei lá em cima: tempo e paciência (até hoje eu não terminei de arrumar meus posts antigos por motivo de: preguiça dsclp mundo). SEO by Yoast eu não precisei instalar porque o meu tema já tem SEO embutido (mágico demais, eu sei) mas é um dos melhores e mais confiáveis que tem por aí caso você queira se aventurar nessa arte. SEO Friendly Images ainda no tópico SEO esse é pra galera preguiçosa mor como eu que tem preguiça de renomear as imagens certinho: esse plugin lindo faz isso por ti. IntenseDebate esse é pra quem quer largar de mão a plataforma de comentários do WordPress – eu o escolhi por recomendação de amigas e de fato ele permite um maior controle, recomendo bastante (e dá pra ativar uma opção super bacana que é o CommentLuv que possibilita que a pessoa que comentou deixe o link mais recente do blog dela). Como esse é mais complicadinho, deixo um tutorial aqui pra vocês. Ufa, agora é só logar no WP – e pra você que é perdido tia Patty ajuda: www.seudominio.com(ou qualquer outra extensão se for o caso)/wp-admin – ir na parte de plugins e upar o .zip que você baixou e depois apertar pra instalar, facinho. Mas qualquer coisa pode me perguntar que eu tento te ajudar, ok?

agnestada Tutorial: Como migrar para o Wordpress

Ta-dã, seu blog tá pronto!

Ficou grande, né? Mas espero que tenha ajudado/dado uma luz/esclarecido algumas dúvidas. Você usa qual plataforma? Já pensou em migrar? Tem alguma dica bacana sobre o WordPress? Quer me perguntar alguma coisa que não ficou clara? Comenta ali embaixo, quero saber tudo. Bisous et à bientôt.

PS: vocês notaram que eu fiz umas pequenas mudanças no blog? Quero saber se vocês curtiram!

Lugares que eu ainda quero conhecer

lugaress copy Lugares que eu ainda quero conhecerEu adoro viajar. Adoro montar roteiros, ler guias de viagens, pedir dica pros amigos…até mesmo arrumar mala (desfazer já é outra história). De carro, avião, barco, busão…comigo vale tudo, sem frescura. Então eu não poderia deixar o meme desse mês do rotaroots de fora aqui do blog, claro. Foi um pouco difícil escolher apenas cinco lugares pra comentar aqui – sou dessas que sonha em rodar o mundo inteiro – mas vamos lá.

1. Londres

lugares2 Lugares que eu ainda quero conhecerPense em um lugar que eu sonho em conhecer desde criança: Londres. Na real, não só Londres como o Reino Unido todo, mas para simplificar, escolhi a cidade que simboliza esse sonho. Visitar museus, pontos turísticos, andar no ônibus de dois andares, tirar foto na cabine telefônica…quero tudo, bem turista mesmo. Mas também quero explorar a cultura local além do turismo, sabe como é? Explorar lojinhas de rua, livrarias bacanas, pubs escondidinhos e tal.

2. Paris

lugares4 Lugares que eu ainda quero conhecerParis é amor, Paris é melancolia. Outro clichê da vida que eu sou fissurada: conhecer a cidade luz. Subir na torre Eiffel, passear pelo Champs-Élysées, passar uma tarde sentadinha num bistrô lendo um livro e apreciando um bom vinho, colocar um cadeado na Pont des Arts e até mesmo achar um Louis Garrel pra chamar de meu

3. Mykonos

lugares3 Lugares que eu ainda quero conhecerA Grécia é um lugar que sempre me fascinou desde a época das aulas de história no colégio. Não lembro exatamente bem como ou quando me fascinei pela ilha de Míconos especificamente. Só sei que toda vez que olho fotos, o meu amor só aumenta. Quem me conhece sabe que eu não sou fã da vibe ~praia, sol, calor, verão~ mas por essa ilha eu topo tudo isso aí sorrindo largado.

4. Moscou

lugares1 Lugares que eu ainda quero conhecerA Rússia é um país enorme, com uma cultura fascinante. Apesar de ser meio suspeita pra falar, já que eu estudo o idioma há alguns anos, acho um destino essencial. Atualmente a situação tá complicada e eu não sei se planejaria uma viagem pra lá com tudo que tá rolando no cenário internacional, mas se até 2018 a situação melhorar: COPA DO MUNDO, TAMO JUNTO! #excursãodatiapatty

5. Verona

lugares5 Lugares que eu ainda quero conhecerSão Paulo é uma cidade com uma forte presença italiana e desde pequena sempre foi uma cultura muito presente no meu cotidiano. Amo a culinária, o idioma, a música…mas eu nunca tive uma cidade específica em mente como um destino obrigatório. Minha paixão por Verona começou depois que eu assisti algumas vezes um filme (“Cartas para Julieta” caso você tenha ficado curioso) – fiquei maravilhada com a arquitetura da cidade, principalmente com a forte presença dos elementos do império romano. Fora que Verona foi o cenário de peças de Shakespeare como “Romeu e Julieta”  e “A Megera Domada” – inclusive tem uma vila no centro da cidade onde Julieta morava que é um dos grandes marcos da cidade e euzinha como boa amante de um clichê, sou louca para conhecer.

E você aí que tá me lendo: qual é o lugar que você tem mais vontade de conhecer? Já teve a oportunidade de viajar para algum lugar que você sempre sonhou? Me conta, hein! Quero saber de tudo. Bisous et à bientôt.

Este post faz parte do Rotaroots - a rotation mais nostálgica da blogosfera. Para ler todas as blogagens coletivas do Rotaroots, clique aqui. Quer participar? Então faça parte do nosso grupo no Facebook e inscreva-se no Rotation.

Resenha: The Geography of You and Me, Jennifer E. Smith

geography2 Resenha: The Geography of You and Me, Jennifer E. SmithEsse post não é jabá, é amor 100% verdadeiro (antes que alguém pergunte). Vi vários vídeos no Youtube e posts em blogs sobre os livros da Jennifer E. Smith e resolvi ir atrás. Primeiro porque as capas dos livros são super lindinhas e bem editadas #soudessas. Segundo porque as histórias me pareceram interessantes. Hoje vou falar do primeiro livro que eu li da autora.

Título: The Geography of You and Me
Autor: Jennifer E. Smith
Editora: Headline
Ano: 2014
Páginas: 352

Sinopse: Lucy e Owen se conhecem em algum lugar entre o décimo e o décimo primeiro andar de um prédio na cidade de Nova York, em um elevador paralisado por causa de um apagão geral na cidade. Depois de serem resgatados, eles passam uma noite juntos passeando pelas ruas escuras e observando a rara aparição das estrelas no céu de Manhattan. Mas assim como a luz retorna, também retorna a realidade. Lucy logo se muda para Edimburgo com seus pais enquanto Owen segue para o oeste com seu pai. O relacionamento de Lucy e Owen se desenvolve mesmo com a distância entre eles através de cartões postais, ocasionais e-mails e – finalmente – um encontro na cidade onde eles se encontraram pela primeira vez. O livro de Jennifer E. Smith mostra que o centro do mundo não precisa ser necessariamente um lugar, pode ser uma pessoa também.

Nível de amor:

Eu fiquei muito feliz ao começar a ler esse livro. A leitura é mega agradável, flui super bem e não dá vontade de largar o livro por nada, sabe? Um romance sem frescura, sem mimimi, sem subestimar o leitor – mas ainda sim é uma daquelas histórias que te tira o fôlego e que você desejaria que acontecesse na sua vida. Um clichê sem clichês. A história é dividida em cinco partes para acompanhar as mudanças dos personagens: Here, There, Everywhere, Somewhere e Home (em tradução livre: aqui, lá, em todo lugar, em algum lugar, lar).

Photo 18 07 2014 23 43 15 Resenha: The Geography of You and Me, Jennifer E. SmithDurante a leitura, o tempo todo veio uma trilha sonora na minha cabeça – umas músicas meio desconexas até, mas que faziam super sentido pra mim em algumas passagens. E ao invés de fazer uma resenha falando sobre narrativa, diagramação e todo esses pepinos que geralmente vocês encontram em blogs literários, resolvi fazer algo mais a minha cara e montar uma playlist para quem for ler o livro (e para os curiosos também, claro!).

geography1 Resenha: The Geography of You and Me, Jennifer E. Smith

Eu coleciono macaquinhos e comprei o da foto esses dias, não é super fofo? ❤

E aí, quem já leu o livro ou ficou com vontade de ler? Gostaram da playlist? Gostariam de ver algo diferente nas resenhas? Me contem que eu quero saber, viu! Bisous et à bientôt.

PS: o livro ainda não tem tradução para o Português. Se eu souber de alguma novidade, conto pra vocês!

 

D52: #33 – Tenho medo de…

fearmatters D52: #33   Tenho medo de...Acho que esse é o primeiro desafio que eu não consegui listar cinco itens. Não que eu seja uma pessoa super corajosa, não sou, mas sabe quando não vem nada na cabeça? Pois é, vou ficar devendo um. Mas os que eu listei aí pode ter certeza que eu tenho pavor mesmo. MESMO.

1. Barata

socorro D52: #33   Tenho medo de...Bicho nojento dos infernos. Eu grito, choro, saio correndo, subo em mesa, cadeira, sofá…o que tiver pela frente. Fico sem ar e tenho crise de pânico. Não gosto nem de ver imagens. E se fizer piadinha do meu desespero tem grandes chances de perder a amizade ou apanhar.

2. Turbulência

turbulencia D52: #33   Tenho medo de...Olha, eu não tenho muito problema em viajar de avião. Até porque eu adoro viajar. Mas tenho um desespero sincero quando o piloto anuncia uma turbulência e manda apertar os cintos de segurança. Sério.

3. Lagartixa

lagartixafromhell D52: #33   Tenho medo de...Olha, esse foi um medo recém adquirido. Quando eu era criança e morava em Brasília essa praga era super comum e eu não estava nem aí pro bicho porque, afinal, ele nunca tinha feito nada pra mim ou cruzado o meu caminho. Convivíamos em harmonia, um bem longe do outro. Até que uma resolveu entrar dentro do meu sapato em um hotel na praia. Até que uma quase caiu na minha cabeça e eu tive um ataque de pânico na casa da costureira. Pronto, medo garantido.

4. ~Atividades paranormais~

paranormal D52: #33   Tenho medo de...Não, não to falando do filme. Mas sabe quando você tá sozinho em casa (ou até mesmo acompanhado) de madrugada e escuta um barulho do nada? Vê uma luz estranha no corredor? Jura que viu um vulto passar? Eu fico alucinada e tenho medo mesmo. Já inclusive aluguei vários amigos de madrugada no skype por motivos de: medo.

Claro que eu tenho outros medos, muitos até difícil de descrever. Ou talvez seja apenas medo de admiti-los. E aí, temos algum medo em comum? Do que mais você tem medo? Me conta aí, quero saber! Bisous et à bientôt.

Resenha: A escola do bem e do mal, Soman Chainani

bemmal1 Resenha: A escola do bem e do mal, Soman Chainania escola do bem e do mal 202x300 Resenha: A escola do bem e do mal, Soman ChainaniTítulo: A escola do bem e do mal (The school for good and evil)
Autor: Soman Chainani (tradução por Alice Klesck)
Editora: Gutenberg
Ano: 2013
Páginas: 352
Sinopse: No povoado de Gavaldon, a cada quatro anos, dois adolescentes somem misteriosamente há mais de dois séculos. Os pais trancam e protegem seus filhos, apavorados com o possível sequestro, que acontece segundo uma antiga lenda: os jovens desaparecidos são levados para a Escola do Bem e do Mal, onde estudam para se tornar os heróis e os vilões das histórias. Sophie torce para ser uma das escolhidas e admitida na Escola do Bem. Com seu vestido cor-de-rosa e sapatos de cristal, ela sonha em se tornar uma princesa. Sua melhor amiga, Agatha, porém, não se conforma como uma cidade inteira pode acreditar em tanta baboseira. Ela é o oposto da amiga, que, mesmo assim, é a única que a entende. O destino, no entanto, prega uma peça nas duas, que iniciam uma aventura que dará pistas sobre quem elas realmente são. Este best-seller é o primeiro livro de uma trilogia que mostra uma jornada épica em um mundo novo e deslumbrante, no qual a única saída para fugir das lendas sobre contos de fadas e histórias encantadas é viver intensamente uma delas.
Nível de amor:

Essa foi a prova de livro mais bacana que eu já recebi e eu vou mostrar o porquê pra vocês. O meu exemplar veio junto com uma cartinha de aceitação para a Escola do Mal! Tá vendo, a carta de Hogwarts extraviou mas essa chegou certinho beijos nasci pra ser vilã se cuida Voldemort! Olha só:

bemmal2 Resenha: A escola do bem e do mal, Soman ChainaniQuando comecei a ler o livro eu honestamente não esperava muito. Achei que seria completamente voltado pro público infanto-juvenil e, claro, fui positivamente surpreendida. O livro possui uma abordagem completamente diferente dos tradicionais contos de fada e o mais bacana é que ao passar da história o autor cita vários clássicos como: Cinderela, Branca de Neve, etc. É uma leitura cativante e envolvente – narrado em primeira pessoa, o autor alterna o ponto de vista das duas amigas: Agatha e Sophie. Porém, apesar de gostar bastante do enredo da história, senti que algo ficou faltando. Diversas vezes durante a leitura as passagens não ficavam muito claras. Não posso opinar se é uma falha do autor ou da tradução – não li o original – mas não é nada que me faça colocar um livro de lado. Poderia ser um livro sensacional e cinco estrelas no meu coraçãozinho? Poderia sim, mas não é. Mas é um livro bastante diferente dos tradicionais contos de fada e eu recomendo a leitura sim.

bemmal3 Resenha: A escola do bem e do mal, Soman Chainani bemmal4 Resenha: A escola do bem e do mal, Soman ChainaniO livro possui várias ilustrações super bonitinhas em cada capítulo e eu adorei o cuidado que a editora teve para adaptar a experiência visual para o leitor brasileiro, ficou muito bacana mesmo. A ilustração da capa permaneceu a mesma e eu adorei, porque acho ela sensacional, hehe. Outra coisa que eu gostei bastante é que pela primeira vez eu não tive aquela sensação de torcer pela mocinha, pelo contrário, eu queria mais é que a vilã se desse bem logo! Assim como proposto, as nossas percepções de bem e mal são desconstruídas várias vezes durante a história. Tenho uma preocupação: eu gostei do final da história e não senti a necessidade de um segundo livro. Lá na gringa o segundo volume já está disponível e se chama “A World Without Princes” (sem previsão de lançamento por aqui ainda) e o terceiro está previsto para o ano que vem. Alguém já leu e sabe se a história continua bacana? Vale a pena? Estou curiosa aqui e quero saber, hein! Bisous et à bientôt.